O transporte é público – o corpo da mulher não

Um dia desses vi o relato de uma amiga no Facebook sobre o ônibus noturno, contando que o motorista da linha havia desviado o caminho para deixá-la na porta de casa. Parece que a prática é comum entre os noturnos. Em alguns lugares do Brasil, como em Cuiabá, é lei: o motorista pode (e deve) parar fora do ponto para mulheres depois das 21h. Apesar da discussão sobre o assédio no transporte público ter arrefecido, o problema não acabou. Ao contrário. Segundo pesquisa do Datafolha, o transporte público é o lugar onde as mulheres mais sofrem assédio na cidade: 35% das entrevistadas relataram ter passado por algum tipo de violência nesse ambiente – seja ela física (22%), verbal (8%) ou ambos (4%)

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook - Black Circle

Facebook

Quer bater um papo e descobrir como participar?

Instagram

2020© PRO COLETIVO