• Chantal Brissac

Em Londres, pais são multados ao levar, de carro, os filhos à escola


Sim, é isso mesmo o que você leu, embora, a princípio, possa parecer estranho. Desde o início deste ano, uma sub-prefeitura da região leste de Londres decidiu aplicar multa de 100 libras para os motoristas que sejam vistos deixando ou pegando alunos perto dos portões principais das escolas. A ação desencadeou a indignação de alguns, mas segundo reportou o jornal britânico "Evening Standard", a maior parte dos pais e da comunidade do entorno viu a sanção como positiva, já que o alto fluxo de carros perto da escola pode provocar acidentes -- além da poluição da fila de carros transitando em marcha lenta, dos veículos estacionados ilegalmente, das buzinas e de todo o transtorno para a vizinhança que já causa.

Após a polêmica causada pelas multas (que podem chegar a mil libras se não forem pagas em quatorze dias), o vereador Jason Frost afirmou: "O tráfego tem reduzido significativamente e mais crianças estão agora indo a pé para a escola, o que é um grande resultado. Eu preferiria ter queixas de que estamos incomodando um pouco os pais do que ouvirmos que uma criança foi gravemente ferida porque nada foi feito.”

Esta ação de Londres dá muito pano para manga e reflexão por aqui. Em São Paulo, onde as ruas próximas das escolas ficam intransitáveis na hora do almoço, isso seria muito bem-vindo. Quem chama a atenção sobre isso é a educadora Carolina Padilha, criadora do programa Carona a pé (que reúne pais e crianças para percorrer juntos, em uma rota pré-determinada, o trajeto de ida e volta da escola). "Com uma porta de escola travada, o que você está ensinando para as crianças? A valorizar o individual e não o coletivo, a se despedir correndo, a ver raiva, grosseria e intolerância nas pessoas?", questiona Carolina.

Verdade. É muito importante que os pais enxerguem que podem facilitar a vida deles, dos filhos e de toda a comunidade se simplesmente não fizerem questão de deixar as crianças na porta. É só se programar para sair mais cedo, estacionar o carro alguns quarteirões antes e ir caminhando com o filho até o portão principal. Melhor ainda é fazer o trajeto de transporte público e a pé.

Essas atitudes em prol do coletivo são boas em todos os sentidos: diminuem a poluição do ar, a poluição sonora, o stress, o congestionamento e o desrespeito no entorno da vizinhança. De quebra, estimulam o hábito de caminhar e previnem o sedentarismo e os problemas decorrentes dele, como a obesidade e algumas doenças. Para a gente refletir e implantar por aqui.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Categorias

Facebook

Quer bater um papo e descobrir como participar?

Instagram

2020© PRO COLETIVO