2017© PRO COLETIVO

Please reload

Posts Recentes

Por que é chique andar de metrô lá fora e aqui não?

October 18, 2019

1/10
Please reload

Posts Em Destaque

O eterno Bixiga

 

 

O bairro do Bixiga vem injetando ânimo na vida cultural paulistana, e as iniciativas promovidas na região unem com harmonia o tradicional ao contemporâneo. Uma tendência a ser observada de perto por todos aqueles que apreciam arte, gastronomia e música. A imprecisa demarcação territorial do Bixiga, que se estende da rua Major Diogo às Avenidas Nove de Julho e Brigadeiro até sabe se lá aonde, já mostra seu DNA alternativo.

 

Até o nome do bairro é alvo de controvérsia: uns alegam ter se originado após um surto de varíola, outros em referência ao extinto matadouro na Rua Santo Amaro que vendia “bexigas de boi” (leia-se testículos bovinos) e, ainda, há quem diga ser uma homenagem a Antonio Bexiga, dono da chácara onde o bairro se estabeleceu. I

 

nclusive, “Bexiga” ou “Bixiga”? Seja como for, a região é um recanto pulsante da memória de São Paulo. Um bom exemplo é o espaço que sedia a escola de samba Vai-Vai, o mesmo onde o quilombo Saracura abrigava escravos fugitivos no início do século XIX; sem contar o restaurante Cantina Capuano, o mais antigo em atividade da capital, desde 1907. Sendo assim, pode-se dizer que o Bixiga é uma novidade velha em movimento constante de renovação.

 

Entre as iniciativas recentes, o vocalista da banda Ratos de Porão e ex-VJ da MTV, João Gordo, em parceria com Alberto Hiar, o ex-deputado “Turco Loco”, abriram a Central do Panelaço no segundo andar da Barbearia Cavalera. Inaugurado no dia 13 de julho de 2016, conhecido por ser o Dia Mundial do Rock, o espaço traz produtos que vão de comidas veganas e cervejas artesanais até quadros, revistas em quadrinhos e workshops. O ambiente ganha vida através dos desenhos coloridos estampando as paredes ao melhor estilo urbano do grafite. Um local perfeito para degustar uma autêntica coxinha de jaca. Não por menos, o Bixiga também é o cenário que abrigou em 2016 a 10ª edição do Dia do Graffiti, reunindo grupos musicais como o Bixiga 70, DJ Papaleo e Siba trio. O que demonstra não só a diversidade musical, mas a qualidade.

 

Mas quando, além de música, o assunto é filosofia, o Mundo Pensante é o melhor exemplar dessa mistura. A sede foi recém-inaugurada, dia 9 de maio, com direito a show do DJ KL Jay, dos Racionais MC’s, em conjunto com músicos da big-band Projeto Coisa Fina. O Mundo Pensante oferece cursos sobre, por exemplo, “a genealogia da moral em Nietzsche” ou “a micropolítica e a subjetividade em Deleuze e Guattari”.

 

Mas quem busca algo mais descontraído, como um pagode dos anos 90, uma noite regada a salsa ou o ritmo caribenho do reggaeton, também pode encontrar na mesma organização as festas mais plurais em suas instalações... Sim, até os intelectuais rebolam.

 

Agora, se a fome bater durante o passeio, o Bixiga tem comida de todos os cantos e origens, para todos os gostos. A demanda é por pão fresco? A Basilicata cumpre há 103 anos esse ritual com maestria. Se é por comida tipicamente nordestina, o Rancho Nordestino impressiona. Saudade da boa massa italiana? Capuano, Montechiaro e  a Cantina C… que sabe! são ótimas escolhas. O comensal é fã do Masterchef? Vá ao Jamile, cuja cozinha é pilotada pelo jurado e chef Henrique Fogaça.

 

Nesse caldeirão democrático, um restaurante tem chamado a atenção. Com refugiados palestinos no comando, incluindo o dono Hasan Zarif, o Al Janiah serve pratos da culinária árabe e realiza eventos culturais variados: shows de forró, a IV Edição Congo Ancestral, que celebra o panafricanismo, e lançamentos de livros como “A limpeza étnica da Palestina”, do historiador israelense Ilan Pappé, ou do “Conversa de refugiados”, escrito pelo ilustre dramaturgo Bertolt Brecht. Quanto à comida, recomenda-se o falafel, bolinho de grão de bico, e o Shawarmas, churrasco árabe no pão sírio.

 

Mas esse passeio não estaria completo sem um banho de sol sobre dois mil metros quadrados de areia em pleno centro urbano. Essa é a Pipa SP que, ao invés de mar, oferece os melhores banhos de ducha da região. Idealizado por Armando Onofri, a praia foi organizada no local que antes era apenas um terreno abandonado.

 

No ano passado, a Pipa SP foi palco do bloco carnavalesco Tarado Ni Você, além de hospedar feiras de alimentos orgânicos, bares e eventos para adoção de animais. É uma opção de lazer prática: uma praia sem o trânsito de ida e volta no caminho. Por essas e outras, o bairro do Bixiga preserva sua relevância tanto histórica quanto sociocultural. É um legado deixado pelos primeiros imigrantes que hoje ganha cada vez mais o frescor do presente.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Please reload

Arquivo