• Pro Coletivo

Os valets e o trânsito em SP


Já faz algum tempo que a oferta de valet prospera, se misturando com o cotidiano de várias capitais do país. Nas portas de muitos bares, restaurantes e casas noturnas das principais capitais é possível entregar a um funcionário a chave do carro e adentrar despreocupadamente no recinto.

Pode-se dizer que esse costume, que existe também nos Estados Unidos, é raridade em muitos países europeus. Em cidades como Paris, Barcelona, Londres e Amsterdã, o serviço de valet é praticamente inexistente. As pessoas podem até chegar de carro, mas elas próprias estacionam seus veículos a algumas quadras do restaurante e vão caminhando.

Está certo que o sistema de transporte público é muito melhor lá fora e as taxas de violência urbana são muito baixas, mas é preciso lembrar também que desenvolvemos aqui no país uma cultura muito própria, de gostar de ser servido, o que talvez explique por que o Brasil tem a maior população de empregadas domésticas do mundo.

Mas estamos falando de mobilidade urbana, e o valet entra aí. Esta palavra de origem francesa, que designa um empregado doméstico masculino, diz respeito a um serviço que atrapalha bastante o trânsito nas cidades.

É comum observarmos usuários deixando seus carros no meio da rua, e até sobre a faixa de pedestres, para entregar as chaves. Também é bastante frequente encontrar serviços de manobristas próximos a esquinas onde muitas vezes os ônibus devem fazer curvas.

Some-se a isso o fato de que às vezes os motoristas, para entregar os veículos aos seus proprietários, ocupam e bloqueiam uma faixa de rodagem, e se tem aí uma ocupação desordenada do espaço.

E há ainda uma questão importante: boa parte das empresas desse setor não conta com estacionamento próprio, deixando os veículos dos clientes em qualquer bica da esquina.

Ruas que têm muitos restaurantes e bares com serviço de valet tendem a se tornar congestionadas, barulhentas e mais poluídas. E com aquelas típicas aglomerações de pessoas à espera do seu carro. Há um aparente conforto em deixar o veículo exatamente na porta do estabelecimento, mas esse hábito acaba impactando de forma negativa no trânsito, que já é bastante complicado nas nossas cidades.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Categorias

Facebook

Quer bater um papo e descobrir como participar?

Instagram

2020© PRO COLETIVO