2017© PRO COLETIVO

Please reload

Posts Recentes

Por que é chique andar de metrô lá fora e aqui não?

October 18, 2019

1/10
Please reload

Posts Em Destaque

Vamos juntas? Conheça o movimento de mulheres que luta contra o assédio nas ruas

17/4/2017

Uma questão latente na mobilidade de toda mulher é o assédio sofrido nas ruas. Seja caminhando, dentro do transporte público, na bicicleta ou dentro dos carros (particulares e compartilhados), todas as mulheres têm preocupações muito mais delicadas do que os homens ao se locomover pela cidade.

 

Se um homem tem medo de ser assaltado na cidade, uma mulher pode perder muito mais que sua carteira ou celular. Mas abusos contra mulheres não são apenas físicos, cantadas e situações desiguais tornam os deslocamentos femininos um desafio diário.

 

O combate a esses crimes passa por políticas públicas, mas também pela conscientização de todos. Pensando nisso, e se unindo ao movimento “Vamos juntas?” - que cria redes de mulheres para se deslocarem juntas pela cidade e se sentirem mais seguras de alguma forma -, a franquia de taxis 99 criou uma campanha bacana para expor essa realidade e conscientizar seus motoristas da importância do combate ao assédio contra as mulheres.

 

Segundo a empresa, palestras com a própria Babi Souza – idealizadora da rede “Vamos juntas?” – já foram feitas com mais de 300 motoristas, e a expectativa é que até o final desse ano toda a frota da 99 tenha passado por esses trabalhos. Para acompanhar a campanha, um vídeo foi feito, e olha que ele escancara muitas coisas. Dá uma conferida:

 

 

 

Vamos juntas?

 

A ideia da rede “Vamos Juntas?” surgiu em uma praça escura de Porto Alegre, quando o medo de Babi Souza a fez pensar que as mulheres a sua volta também podiam estar com a mesma sensação ruim que ela sentia por estar ali.

 

Primeiro ela criou uma página no Facebook para compartilhar a ideia e começar a esquematizar deslocamentos colaborativos. “Em 24 horas, a página atingiu 5 mil curtidas. Em 48 horas, 10 mil curtidas. Em 6 dias, 50 mil curtidas. Em 2 semanas e meia 100 mil curtidas.”, conta Babi.

 

Uma enquete feita pelo movimento mostra que o machismo institucionalizado e o fato de já ter sofrido algum tipo de assédio nas ruas são os motivos que mais amedrontam mulheres em seus deslocamentos.

 

Hoje a página já tem quase meio milhões de curtidas e promove discussões que vão além da mobilidade.

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Please reload

Arquivo