2017© PRO COLETIVO

Please reload

Posts Recentes

Por que é chique andar de metrô lá fora e aqui não?

October 18, 2019

1/10
Please reload

Posts Em Destaque

A arte de ir de bike

14/4/2018

Muito se discute sobre a mobilidade na cidade de São Paulo e sem dúvida a bicicleta e o transporte coletivo estão no centro das discussões.

 

Assegurar que todos tenham acesso a sistemas completos de transporte, com integração efetiva e a redução de acidentes, é uma tarefa fundamental para tornar as cidades mais conectadas, justas e sustentáveis.

 

Não se pode ignorar que a  bicicleta é um dos meios de transporte mais eficientes já inventados.

 

O uso da bicicleta em distâncias curtas pode reduzir significativamente o tempo de deslocamento até a estação, por exemplo, um percurso que leva 30 minutos a pé, pode ser realizado em 10 minutos. Além disso, traz inúmeros benefícios para seus usuários e para o coletivo.

 

Defendemos que o planejamento cicloinclusivo precisa ser feito como parte de um planejamento do sistema de transporte público.

 

É importante que o entorno das estações de metrô e corredores de ônibus tenham bacias cicloviárias com paracíclos e bicicletários para que as bicicletas sejam guardadas com segurança enquanto o passageiro continua seu deslocamento no transporte coletivo.

 

Paralelamente,  um conjunto de estratégias devem ser incentivadas, tais como a permissão para o embarque de bicicletas no transporte coletivo em horários pré-definidos, implementação de sistemas de bicicletas compartilhadas com integração tarifária e operacional.

 

E claro que este planejamento deve contemplar o acesso às estações, por meio de rotas seguras e confortáveis para pedalar.

 

Guangzhou, na China, é um ótimo exemplo de um sistema de bicicletas compartilhadas integrado ao corredor de BRT. Inaugurado em 2010, é constituído por 113 estações de bicicletas localizadas nas estações de transporte, disponibilizando mais de 5.000 bicicletas para o primeiro e último trechos dos deslocamentos.

 

A escultura do artista chinês Ai Weiwei, que foi apresentada na SP Arte 2018, representa muito bem a China, o mundo de hoje e - por que não? - a intermodalidade em sua perfeição a partir da bicicleta. 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Please reload

Arquivo